Posts com Tag ‘brasil’

Ainda sobre a Batalha do Avaí

Publicado: janeiro 27, 2009 por jppadua em Arts, Tudo
Tags:, , , ,

O quadro “A Batalha do Avaí” é a obra-prima do pintor pernambucano Pedro Américo, um dos mais importantes – se não o mais importante do neoclássico brasileiro. Ele estudou artes e ciências naturais na Europa e morreu em Florença, consagrado com artista e pensador. A “Batalha do Avaí” é um quadro que ocupa uma vertical inteira de uma das altas galerias do Museu Nacional de Belas Artes (na Av. Rio Branco, Rio de Janeiro) e, junto com outra pintura de mesmo tamanho – “A Batalha dos Guararapes”, de Vitor Meirelles, também no mesmo museu – é, na minha opinião, uma das mais interessantes pinturas brasileiras de todos os tempos. Curiosidade: assim como em todas as suas obras, também nessa Pedro Américo se pintou participando da batalha, participação essa que, na verdade, não aconteceu.

Em homenagem ao Caio, mais informações na Wikipedia (clique aqui).

Resolvemos mudar o tema por sugestão de jppadua. Na imagem do cabeçalho, um corte do quadro pintado por Pedro Américo. Em breve alteraremos novamente para dar vida ao blog. Abraços!

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

batalha de Avaí foi travada junto ao arroio de mesmo nome, em território paraguaio, em Dezembro de 1868, durante a Guerra da Tríplice Aliança, entre as forças da Tríplice Aliança e as do Paraguai.

Foi um dos combates travados na fase do conflito denominada como Dezembrada, quando se registrou uma série de vitórias obtidas por Caxias naquele mês, ao evoluir em direção ao Sul para tomar Piquissiri pela retaguarda, a saber: batalhas de Itororó, Avaí, Lomas Valentinas e Angostura.

Durante a refrega, a força paraguaia bateu-se com tenacidade, mas foi envolvida por um movimento de flanco e destroçada. Apenas 100 paraguaios, incluindo o general Bernardino Caballero, conseguiram escapar. A tradição oral paraguaia refere a participação de centenas de mulheres entre os combatentes.

Veja mais sobre o quadro de Pedro Américo – Batalha de Avaí.

Veja o quadro de Pedro Américo.