Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Ver a parte 2/5

Ver a parte 3/5

Ver a parte 4/5

Ver a parte 5/5

Esse é o mais científico e didádito de todos. História da guerra entre a vaidade e a genialidade, apoiada querências mundanas do poder e dinheiro. Edison e Marconi x Tesla. Show de bola.

Veja o documentário acima dublado em PT.

Chegou a eletricidade sem fio (Época Negócios)

Estou ao lado de um gênio americano nascido na Croácia. Num escritório parcialmente vazio em Watertown, Massachusetts, em breve poderei me transformar num pedaço de carvão. Bem, se isso não acontecer, serei testemunha do maior avanço da ciência da eletricidade em centenas de anos. 


Só os deuses se metem com elétrons. Só um tolo os arremessaria pelos ares. E, no entanto, aqui estou, em uma sala de reuniões com um cientista que vai mandar pelos ares 120 volts. “Não se preocupe”, diz Marin Soljacic, professor assistente do MIT e vencedor do prêmio MacArthur de 2008, para gênios. Soljacic é o criador de um invento que está prestes a pôr em funcionamento. Voltamos, então, nossa atenção para um aparelho de TV Toshiba localizado a 1,5 metro de distância, sobre uma mesa dobrável. Ele deve estar brincando: não há 
fio algum conectado ao aparelho. Ele está desligado. Silêncio. Se Soljacic estiver certo – se seus elétrons, que não estão limitados a espaço algum, forem capazes de ligar a TV do outro lado da sala –, ele será autor de uma façanha tão sutil na física, e tão profunda, que pode até mudar o mundo e também torná-lo bilionário. Prendo o fôlego. Soljacic liga o interruptor. 

Ele não é o primeiro a tentar ligar um aparelho eletrônico a distância, emitindo em sua direção elétrons pelo ar. Muita gente diz que o inventor sérvio Nikola Tesla, autor de muitas das invenções que definiram a moderna era da eletricidade, foi o primeiro a liberar os elétrons de suas amarras. Isso em 1890. Tesla baseou sua ideia de eletricidadesem fio em um conceito conhecido como indução eletromagnética, descoberto por Michael Faraday em 1831, segundo o qual a corrente elétrica que corre por um fio pode fazer com que percorra também outro fio próximo. Para ilustrar esse princípio, Tesla construiu duas enormes torres de “superenergia”, que transmitiriam uma corrente pelo ar dos Estados Unidos e seria recebida a distancia por aparelhos elétricos do mundo todo.


Poucos acreditaram que seria possível. E, de fato, é preciso reconhecer que não ocorreu exatamente o que se previa. Quando, em Colorado Springs, Tesla acionou suas torres de 61 metros e 1 milhão de volts, elas dispararam faíscas de eletricidade de 130 metros e centelhas se esparramaram pelo chão. Da grama em volta do laboratório brotou um tom azulado. O efeito fora forte demais.

Mas agora o sonho de Tesla tornou-se realidade. Depois de mais de 100 anos, diversas empresas estão trazendo ao mercado tecnologias capazes de transmitir, com segurança, aenergia pelo ar – um feito que prenuncia o fim das amarras que ainda seguravam nossa era eletrônica. Até então, a expressão mobilidade eletrônica era uma mentira: como podemos chamar de portátil um laptop que precisa ser realimentado a cada quatro horas, como se fosse um embrião dependente do cordão umbilical? O mundo está prestes a ser curado do transtorno da fixação e prestes a entrar na era da eletricidade sem fio.

Tecnologia nº 1: Acoplamento indutivo
Disponibilidade: imediata

O primeiro sistema de energia sem fio a chegar ao mercado é um aparelho indutivo, bem parecido com aquele que Tesla vislumbrou, mas muito menor. Parece um mouse pad e transmite energia pelo ar a uma distância de até 5 centímetros. Uma bobina energizada cria um campo magnético que, conforme Faraday previu, faz com que a corrente percorra uma pequena bobina secundária instalada em qualquer dispositivo eletrônico, como uma lanterna. A corrente elétrica que passa pela bobina secundária modifica a bateria recarregável contida no aparelho. Você poderá colocar quantos aparelhos quiser em cima do pad e todos serão recarregados. Não há perigo para o usuário, pois como ele fica invisível para os campos magnéticos criados pelo sistema, não haverá fluxo de eletricidade em sua direção, se ele ficar entre o pad e o equipamento. 

A principal empresa desse setor parece ser a Fulton Innovation, de Michigan, que apresentou a primeira série de produtos que podem ser recarregados sem a necessidade de fios no Consumer Electronics Show, realizado no início deste ano. O novo sistema eCoupled da empresa, baseado no uso do pad, está disponível para a polícia, o corpo de bombeiros, equipes de resgate e frotas de empreiteiras.

Tecnologia nº 2: Radiofrequência
Disponibilidade: imediata

Os sistemas de indução estão só no começo. Alguns dos exemplos mais fascinantes da eletricidade sem fio baseiam-se nos sistemas de radiofre quência. Embora menos eficientes, trabalham com distâncias de até 26 metros. A eletricidade é transformada em ondas de rádio que se deslocam pelo ambiente. Em seguida, são enviadas a um receptor de energiaque as transforma novamente em corrente direta de baixa voltagem. Imagine um relógio que não precise jamais ter sua bateria substituída. A tecnologia já está sendo usada pelo Departamento de Defesa americano. Este ano, estará disponível para consumidores sob a forma de pequenos aparelhos domésticos.

Tecnologia nº 3: Ressonância acoplada magneticamente
Disponibilidade: de 12 a 18 meses

A outra tecnologia inventada por Soljacic foi apelidada de WiTricity. É capaz de fornecer eletricidade para uma sala, desde que esteja repleta de aparelhos prontos para isso. Embora a WiTricity use duas bobinas – uma energizada e outra não, assim como o eCoupled –, ela difere porque as bobinas não precisam estar próximas para a transferência deenergia. A exemplo da ressonância acústica, que permite a uma cantora de ópera quebrar um copo com a voz, a ressonância magnética pode disparar uma resposta energética em direção a algum objeto mais distante. Mas a bobina receptora precisa estar “afinada” com a energizada. A WiTricity não depende da linha de visão. Uma bobina energizada no porão pode fornecer eletricidade para o resto da residência, sem fio. Existem ainda outras empresas pesquisando, como a WiPower, da Flórida, e a Powercast, de Pittsburgh.

Enquanto protejo aquela parte vital do corpo, surge um ruído no fundo da sala. Soljacic conseguirá ligar a TV? Ele pressiona o interruptor e o pequeno televisor, a 1,5 metro de distância, adquire vida. Sem fio algum. O DVD acoplado também é acionado. Imagens coloridas brilham na tela. Os olhos de Soljacic dançam à luz da imagem refletida.

E também em aeroportos. 

comentários
  1. Licaopiff disse:

    Nice info! I will visit again!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s