Guerra do Ópio – Dicionário Político

Publicado: março 5, 2009 por Yogi em Capital, Culture, History, International, Media, Nature, Non Sense, Politics, Tudo
Tags:, , , , , , , ,

Ocorreram duas Guerras do Ópio: a primeira no período 1839-1842 e a segunda no período 1856-1860. Foram guerras entre a China e a Grã-Bretanha. A primeira guerra do ópio foi iniciada pela Grã-Bretanha usando como motivo o combate feito pelo imperador e líder chinês ao contrabando de ópio com a prisão, expulsão dos traficantes e apreensão do ópio contrabandeado. O contrabando de ópio era praticado principalmente pelos comerciantes ingleses situados em Cantão. Com a vitória da Inglaterra a China foi forçada a assinar o Tratado de Nanquim em 1842 pelo qual foi humilhantemente submetida a franquear ao comércio com a Inglaterra cinco portos e a extinguir a sua firma comercial encarregada de efetuar o comércio com os empresários ocidentais e pagar uma indenização de guerra e entregar ao domínio inglês a ilha de Hong-Kong, além de permitir que em cada um dos cinco portos permanecesse fundeado um navio de guerra inglês.
A segunda guerra do ópio teve como motivo o fato de oficiais chineses terem revistado um navio de bandeira inglesa. Nesta segunda campanha a Grã-Bretanha teve como aliada a França. Com a derrota da China foi imposto o Tratado de Tianjin que obrigou a China a abrir mais 11 portos ao comércio com as potências ocidentais, a garantir liberdade de movimentação aos mercadores europeus e aos missionários cristãos. de Marxist Internet Archive

A Guerra do Ópio, Sun Yat-sen e os Três Princípios do Povo (16/11)

Uma boa leitura para os dias que correm é sobre a formação da China moderna. Invejam a prosperidade e o crescimento chineses, mas as vitórias atuais da China são resultado de um longo processo de consolidação do Estado nacional. Se você tiver tempo, saiba o que era a China do século 19 lendo sobre as Guerras do Ópio. E conheça um pouco do fundador da China moderna, o nacionalista Sun Yat-sen, com os seus Três Princípios do Povo. São o direito à soberania, à democracia e ao bem-estar. Note que eles se encaixam perfeitamente no que poderia ser um programa de governo progressista para o Brasil. Do Blog do Alon

Recomendo a leitura da matéria “A Nova Guerra do Ópio”, falando de Irã, Afeganistão, Russia e EUA, do Le Monde diplomatique Brasil. Clique aqui para ler o texto completo.

 

“Situado na rota do ópio, entre os campos de papoula do Afeganistão e o mercado europeu da heroína, o Irã está numa verdadeira guerra contra o tráfico. Mas a repressão é quase inútil. Única solução: estimular lavouras alternativas nos campos afegãos”. Cédric Gouverneur
comentários
  1. juh disse:

    Situado na rota do ópio, entre os campos de papoula do Afeganistão e o mercado europeu da heroína, o Irã está numa verdadeira guerra contra o tráfico. Mas a repressão é quase inútil. Única solução: estimular lavouras alternativas nos campos afegãos”. Cédric Gouverneur

  2. Rian disse:

    Ocorreram duas Guerras do Ópio: a primeira no período 1839-1842 e a segunda no período 1856-1860. Foram guerras entre a China e a Grã-Bretanha. A primeira guerra do ópio foi iniciada pela Grã-Bretanha usando como motivo o combate feito pelo imperador e líder chinês ao contrabando de ópio com a prisão, expulsão dos traficantes e apreensão do ópio contrabandeado. O contrabando de ópio era praticado principalmente pelos comerciantes ingleses situados em Cantão. Com a vitória da Inglaterra a China foi forçada a assinar o Tratado de Nanquim em 1842 pelo qual foi humilhantemente submetida a franquear ao comércio com a Inglaterra cinco portos e a extinguir a sua firma comercial encarregada de efetuar o comércio com os empresários ocidentais e pagar uma indenização de guerra e entregar ao domínio inglês a ilha de Hong-Kong, além de permitir que em cada um dos cinco portos permanecesse fundeado um navio de guerra inglês.
    A segunda guerra do ópio teve como motivo o fato de oficiais chineses terem revistado um navio de bandeira inglesa. Nesta segunda campanha a Grã-Bretanha teve como aliada a França. Com a derrota da China foi imposto o Tratado de Tianjin que obrigou a China a abrir mais 11 portos ao comércio com as potências ocidentais, a garantir liberdade de movimentação aos mercadores europeus e aos missionários cristãos. de Marxist Internet Archive

    A Guerra do Ópio, Sun Yat-sen e os Três Princípios do Povo (16/11)

    Uma boa leitura para os dias que correm é sobre a formação da China moderna. Invejam a prosperidade e o crescimento chineses, mas as vitórias atuais da China são resultado de um longo processo de consolidação do Estado nacional. Se você tiver tempo, saiba o que era a China do século 19 lendo sobre as Guerras do Ópio. E conheça um pouco do fundador da China moderna, o nacionalista Sun Yat-sen, com os seus Três Princípios do Povo. São o direito à soberania, à democracia e ao bem-estar. Note que eles se encaixam perfeitamente no que poderia ser um programa de governo progressista para o Brasil. Do Blog do Alon
    Recomendo a leitura da matéria “A Nova Guerra do Ópio”, falando de Irã, Afeganistão, Russia e EUA, do Le Monde diplomatique Brasil. Clique aqui para ler o texto completo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s