Entre livros e flores

Publicado: janeiro 22, 2009 por Yogi em Arts, Literature, Music, Poetry, Tudo

 

É imenso o prazer que sinto, quando recebo – como obra do acaso – um pequeno ramo de flores – diminutas flores, para guardar num livro, deixá-la ali como uma lembrança ininterrupta da alegria de viver. Os faunos e as ninfas voltam a povoar o mundo, com seus flautins e músicas misteriosos. O mistério se instaura de imediato e permite cabriolas, azafamadas profundezas. Como um intermezzo lírico no meio da selva de concreto e o ritmo frenético do dia a dia, flores e livros compõem o espírito seja como um samba de Nelson Cavaquinho, cantado por Elizete, seja como uma música de Cole Porter, entoada por Ella. Ou ainda, egressos de uma encenação em que Dioniso se louvado, perfumado e enfeitado pelas bacantes em êxtase e entusiasmo, livros e flores são dádivas para a construção do mundo.

Li o Radiguet, com o diabo no corpo. Um livro espantoso.

(prosa avulsa de oswaldo martins)

http://osmarti.blogspot.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s