sonhei com você…

Publicado: janeiro 19, 2009 por E=m.c² em Poetry, Tudo

MULHER ESPERADA

 

 

Uma linda praia, à margem do mar fugindo das ondas estão elas:  meu passado, meu presente e meu futuro. Correm da água em uma brincadeira que mescla inocência e seriedade. A mãe, incentivadora, se delicia frente a pureza daquela alma que expõe sua fragilidade lúdica junto a amiga natureza.

 

Quanto tempo esperei por essa cena… não foi em vão, meu peito arde em silêncio e o sorriso incontido alimenta a película real que agora se forma sob a retina ainda sóbria dessa alma em desencanto.

 

Não fostes o meu único amor, é verdade, mas eres o mais intenso, a chama viva que incita o apogeu, a flor mais bela do jardim, que rego com alegria.

 

Agora vejo o quão simples é o amor, ternura natural que nos invade. E como entrego ele a ti minha amada, não temo mais nada, quiça te perder.

 

O laço invisível que nos une estabiliza a segurança,  induz a perseverença,  alimenta o dia-dia.

 

Construir o futuro é uma meta que sem ti não faz sentido, eres o alicerce de meus pesares, ponto final de minha jornada, amada:  sinta nas palavras o sangue vil desse coração em pulso. Tua imagem balança, não estar contigo é tarefa do desprendimento e pouco me arrependo em ser dito egoísta, sou de carne, reconheço essa vertigem, a destreza de seu abraço me faz um asno, desconcerto minha rota ajustando à sua presença.

 

Que charme é esse que te empermeia? Afogo meu teclado em dizeres pretenciosos que pouco definem meu espírito em fusão. Lutar contra esse poder é uma afronta ao ser ocupante deste corpo, entrego então em suas mãos a indivisível alma que hoje me destitui.

 

Confronto minhas querencias e a resposta chega logo à sua ausencia, amo-te como és – de manhã, à tarde e na cama, venha, corra à varanda, o sol esta se pondo, em breve estará de volta, oferecendo a noite escura para que nos unamos cegamente.

 

Deixe o silêncio das estrelas invadir nosso quarto, elas nos falam da compaixão, brilham mesmo depois de apagadas. Viajemos com a luz para os sítios mais distantes do universo, transformemos essa massa que nos cobre em pura energia. Esqueçamos por alguns segundos quem somos, nos redescobrindo cada vez mais e na voz calada dos astros que se faça ouvir a sinfonia desconhecida que chamamos pelo nome amor.

 

Quintessência do meu ser, rejuvenesço a teu lado, o tempo que outrora retardava badaladas agora acelera seu compêndio, relativo só não é o meu desprendimento  por ti, princesa do infinito.

 

Choro de alegria, crio um mar de ternura e é nele que hoje te vejo com o fruto de nossas vidas , doce, pura e sem pecados, preparando-se para amar, como te amei , amo e como sempre te amarei.

 

Para você,  que ainda não encontrei.

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s