Arquivo de janeiro 19, 2009

sonhei com você…

Publicado: janeiro 19, 2009 por E=m.c² em Poetry, Tudo

MULHER ESPERADA

 

 

Uma linda praia, à margem do mar fugindo das ondas estão elas:  meu passado, meu presente e meu futuro. Correm da água em uma brincadeira que mescla inocência e seriedade. A mãe, incentivadora, se delicia frente a pureza daquela alma que expõe sua fragilidade lúdica junto a amiga natureza.

 

Quanto tempo esperei por essa cena… não foi em vão, meu peito arde em silêncio e o sorriso incontido alimenta a película real que agora se forma sob a retina ainda sóbria dessa alma em desencanto.

 

Não fostes o meu único amor, é verdade, mas eres o mais intenso, a chama viva que incita o apogeu, a flor mais bela do jardim, que rego com alegria.

 

Agora vejo o quão simples é o amor, ternura natural que nos invade. E como entrego ele a ti minha amada, não temo mais nada, quiça te perder.

 

O laço invisível que nos une estabiliza a segurança,  induz a perseverença,  alimenta o dia-dia.

 

Construir o futuro é uma meta que sem ti não faz sentido, eres o alicerce de meus pesares, ponto final de minha jornada, amada:  sinta nas palavras o sangue vil desse coração em pulso. Tua imagem balança, não estar contigo é tarefa do desprendimento e pouco me arrependo em ser dito egoísta, sou de carne, reconheço essa vertigem, a destreza de seu abraço me faz um asno, desconcerto minha rota ajustando à sua presença.

 

Que charme é esse que te empermeia? Afogo meu teclado em dizeres pretenciosos que pouco definem meu espírito em fusão. Lutar contra esse poder é uma afronta ao ser ocupante deste corpo, entrego então em suas mãos a indivisível alma que hoje me destitui.

 

Confronto minhas querencias e a resposta chega logo à sua ausencia, amo-te como és – de manhã, à tarde e na cama, venha, corra à varanda, o sol esta se pondo, em breve estará de volta, oferecendo a noite escura para que nos unamos cegamente.

 

Deixe o silêncio das estrelas invadir nosso quarto, elas nos falam da compaixão, brilham mesmo depois de apagadas. Viajemos com a luz para os sítios mais distantes do universo, transformemos essa massa que nos cobre em pura energia. Esqueçamos por alguns segundos quem somos, nos redescobrindo cada vez mais e na voz calada dos astros que se faça ouvir a sinfonia desconhecida que chamamos pelo nome amor.

 

Quintessência do meu ser, rejuvenesço a teu lado, o tempo que outrora retardava badaladas agora acelera seu compêndio, relativo só não é o meu desprendimento  por ti, princesa do infinito.

 

Choro de alegria, crio um mar de ternura e é nele que hoje te vejo com o fruto de nossas vidas , doce, pura e sem pecados, preparando-se para amar, como te amei , amo e como sempre te amarei.

 

Para você,  que ainda não encontrei.

 

 

 

 

 

 

Minha japonesa

Publicado: janeiro 19, 2009 por E=m.c² em Poetry, Tudo

Quero uma gueicha

Que não se queixa
E leva café na cama
Mãe, amante, mucama

Cheirosa e arrumada
Pronta para conversa
Séria e profana
Me ama
Cuida
Recebe a recompensa

Não busco outra
És a primeira a segunda e a terceira
Quero seus dotes
Crianças e pupilos
Dividir o seu mamilo
Ser amante e amigo
Recostar em seu umbigo

Te ter por uma fração de segundo
No gozo conjunto
Mudar de assunto
Dormir separado
Sono privado
Imaginação livre
Num mundo sem barreiras
Pois deixe de besteira

Acorde
Esta na hora da ceia

A segunda é mais profunda
Acarecio sua bunda
Pois despertes minha gueixa
Todo sangue está na veia

Pagarei o teu esforço
Num infinito gozo

Amanhã é outro dia
Perfeita e vadia.

Homenagem ao Síndico Tim Maia

Publicado: janeiro 19, 2009 por E=m.c² em Music, Tudo

Merece ser visto…

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about “Gil no Google Zeitgeist Europe ’08“, posted with vodpod